terça-feira, 29 de maio de 2012

USPSTF revisou as evidências sobre a terapia hormonal na menopausa para Condições Crônicas

Menopausal Hormone Therapy for the Primary Prevention of Chronic Conditions: A Systematic Review to Update the U.S. Preventive Services Task Force Recommendations



Uma revisão nova evidência da Força-Tarefa de Serviços Preventivos dos EUA (
U.S. Preventive Services Task Force) reafirma que a terapia hormonal na menopausa oferece benefícios na prevenção de fratura - mas à custa de aumento do risco de tromboembolismo venoso, acidente vascular cerebral e outros resultados adversos.

A revisão, publicado na Annals of Internal Medicine, incluiu nove estudos publicados desde 2002 em terapia hormonal para a prevenção primária de doenças crônicas. A maioria dos resultados veio da Iniciativa de Saúde da Mulher, incluindo:

  •      A terapia com estrogênio-progestina reduziu os riscos de diabetes e fraturas (quadril, vertebral, total), mas elevou os riscos de câncer de mama invasivo, acidente vascular cerebral tromboembolismo venoso, a mortalidade por câncer de pulmão, doença da vesícula biliar, demência e incontinência urinária.
  •      O estrógeno sozinho reduziu os riscos de fraturas, câncer de mama invasivo e de mortalidade, enquanto aumentou os riscos de acidente vascular cerebral, trombose venosa profunda, doença da vesícula biliar, e incontinência.

A revisão gera uma atualização do guideline da USPSTF. (Em 2002, a força-tarefa desaconselhadas estrogênio-progestina uso para prevenir doenças crônicas, em 2005, emitiu o mesmo conselho contra o estrogênio sozinho.)


Acesse:



Publicado originalmente por Leonardo C M Savassi em http://medicinadefamiliabr.blogspot.com