domingo, 9 de fevereiro de 2014

Calendário Vacinal de Adultos 2014 nos Estados Unidos (ACIP)

Advisory Committee on Immunization Practices Recommended Immunization Schedule for Adults Aged 19 Years or Older: United States, 2014


O Advisory Committee on Immunization Practices (Comitê Consultivo em Práticas de Imunização - ACIP) revê e publica anualmente o calendário vacinal de adultos nos Estados Unidos. A entidade publicou o calendário vacinal para adultos de 2014 no Annals of Internal Medicine.

É fundamental lembrar que as recomendações para os Estados Unidos não se aplicam integralmente ao Brasil, tendo em vista o perfil de morbidade e mortalidade populacional. É claro o exemplo da vacina contra HPV, cujos estudos foram realizados em países com alta incidência de Câncer de Colo de Útero e cobertura de Papanicolau bem diferente da nossa. Então analisem com cautela.

A seguir são listadas as principais alterações nas recomendações, e em seguida as tabelas bem como o link para o artigo original. Dentre as principais alterações para adultos, estão:

Inclusão da Hib
O calendário adulto deste ano é mais sobre requinte e esclarecimento de grandes mudanças, com uma exceção: a vacina para Haemophilus influenzae tipo B. A Hib agora tem o sua própria linha no gráfico e nota de rodapé. A Hib não é só para crianças, mas também para um pequeno subconjunto de adultos. E para pessoas com asplenia anatômica ou funcional , incluindo doença falciforme, a vacina Hib pode salvar vidas . Os pacientes que planejam esplenectomia eletiva deve preferencialmente recebê-la ao menos 14 dias antes da cirurgia. Após transplante de células estaminais de sucesso, os pacientes precisam de mais de 6 doses por 6 meses, cada dose pelo menos 1 mês de intervalo. Mas atentem que a Hib não é rotineiramente recomendada para pacientes com HIV, pois o risco de infecção por Hib é baixo nesse grupo.

Mudanças na vacina anti-pneumocóccica
Outra mudança no gráfico de imunizações adulto: uma nova ordem a vacina anti-pneumocócica. PCV13 (13-valente), a nova vacina conjugada, agora está listada acima da PPSV23 (23-valente), a vacina polissacarídica. Ela funciona como um gatilho de tempo, um lembrete para dar vacina conjugada em primeiro lugar, antes de vacina polissacarídica, para as pessoas não vacinadas anteriormente que necessitam de ambas as vacinas. Isto inclui: adultos imunocomprometidos com 19 anos de idade ou mais, incluindo aqueles com insuficiência renal crônica , síndrome nefrótica, asplenia anatômica ou funcional, comunicações de líquido cefalorraquidiano ou implantes cocleares. Eles devem receber a vacina polissacarídica PPSV23 pelo menos 8 semanas depois. Para aqueles que necessitam de vacinas e que já tenham sido vacinados com a vacina polissacarídica PPSV23 , você tem que esperar pelo menos 1-2 anos antes de dar vacina PCV13 conjugada. A nota também inclui um lembrete de que a PCV13 é uma vacina aprovada pelo FDA apenas para adultos com 50 ou mais anos de idade e que seu uso para adultos imunocomprometidos menos de 50 anos de idade, embora recomendada pelo Comitê Consultivo em Práticas de Imunização (ACIP ), é off-label, ou seja, fora do padrão de segurança do FDA.

Informações complementares sobre a anti-meningocóccica
Outra alteração no conteúdo refere-se à vacinação anti-meningocócica. A recomendação é basicamente a mesma, mas a mensagem é bem diferente: a nova nota esclarece quem precisa de 1 dose, quem precisa de duas doses , e qual vacina deve ser usada em cada caso. Em geral , a vacina conjugada é o preferido para os adultos em idade de 55 anos e mais jovens . A vacina polissacarídica MPSV4 é preferível para os 56 anos e acima, mas apenas se eles estão a receber apenas uma dose. Se mais de uma dose é necessária ou esperada, a vacina conjugada (MCV4) é a escolha para adultos de todas as idades. 

Importante lembrar: a)  da indicação em estudantes de 16 a 21 anos que não receberam vacinação meningocócica, e devem tomar depois de seu 16 º aniversário. b) que os indivíduos HIV- positivos não devem ser rotineiramente vacinados com a anti-meningocócica , mas aqueles que se vacinarem devem receber duas doses da vacina MCV4 conjugado.

Outros destaques que não são novos, mas ainda são importantes :

• Coqueluche para adultos em contato com bebês de colo

• Vacinas tétano, difteria,  coqueluche acelular (dTpa) para todos os adultos, incluindo os 65 anos de idade ou mais . Gestantes devem receber reforço dTpa a cada gravidez no terceiro trimestre, de preferência entre 27 e 36 semanas. Lembrando que a repetição da vacinação materna também é um uso off-label.

• Para a vacina de herpes-zoster, ACIP diz que esperar pelo menos até a idade de 60 anos para administrar , mesmo que seja aprovado pela FDA para adultos a partir de 50 anos de idade . Esta é uma vacina de vírus vivo , por isso é contra-indicada para mulheres grávidas e pessoas com imunodeficiência grave.

• As recomendações para vacinação contra a gripe para todos acima de 6 meses de idade ainda estão de pé. Recomendações para pessoas alérgicas ao ovo foram esclarecidas . A dose inativada é boa para qualquer pessoa com alergia leve a proteína do ovo (ou seja , apenas urticária). A vacina contra a gripe de nova tecnologia, RIV, e a vacina influenza recombinante ( FluBlok ® - e, acredite se quiser, o nome da marca é realmente listada na nota de rodapé) não contém proteína do ovo qualquer e pode ser dado a adultos de 18-49 anos com alergia ao ovo de qualquer gravidade .

Veja os charts a ACIP:



Acesse o artigo no Annals of Internal Medicine:


Publicado originalmente em http://medicinadefamiliabr.blogspot.com