sábado, 4 de dezembro de 2010

Novas orientações da OMS: prevenção da tuberculose para as pessoas com HIV

Guidelines for intensified tuberculosis case-finding and isoniazid preventive therapy for people living with HIV in resourceconstrained settings

World Health Organization


As orientações mostram como as pessoas com HIV podem ser protegidos contra a tuberculose com regularidade, de baixo custo de medicação preventiva. A Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou uma nova linha-guia. Leia abaixo a press release (traduzida) da entidade:

1 de dezembro de 2010 GENEBRA - Crianças e adultos que vivem com HIV podem ser protegidos de uma das suas ameaças mortais - a tuberculose (TB) - com uma forma regular e de baixo custo de medicação preventiva, de acordo com as novas orientações lançadas hoje pela OMS. Dos quase dois milhões de mortes relacionadas à AIDS a cada ano, um quarto deles estão associados com a tuberculose.

Devido ao seu sistema imunológico enfraquecido, as pessoas que vivem com HIV são menos capazes de combater a infecção da TB e são mais propensos a desenvolver uma tuberculose ativa, que pode ser fatal e pode ser transmitida a outros. Em algumas comunidades, até 80% das pessoas com TB tem teste positivo para HIV. Tomar medicamentos que contenham a isoniazida, uma drogas anti-TB é uma medida simples e de baixo custo que impede que a bactéria da tuberculose se torne ativa se ela estiver presente. Conhecida como Terapia Preventiva com Isoniazida (IPT), o método de tratamento não é nova, mas para uma variedade de razões, é subutilizado. Apenas 85 000 (ou 0,2%) de todas as pessoas vivendo com HIV receberam isoniazida para a prevenção de tuberculose em 2009.

"Ao comemorarmos o Dia Mundial da SIDA, é evidente que a gestão do HIV deve incluir o combate à TB", disse Gottfried Hirnschall, Diretor do Departamento de HIV / AIDS da OMS . "Precisamos de implementar plenamente a estratégia dos três I's para o HIV / TB em colaboração com todos os parceiros. Os três I's são Terapia Preventiva com Isoniazida, intensificar triagem da tuberculose e de controle de infecção por TB. Essas medidas devem ser entregues como parte de serviços abrangentes de HIV."

As principais recomendações: as diretrizes são baseadas em novas provas científicas que atualizam a política anterior de 1998. As principais recomendações são:

• Todas as crianças e adultos que vivem com o HIV, incluindo mulheres grávidas e pessoas que recebem tratamento anti-retroviral, devem receber tratamento com isoniazida preventivo.
• A isoniazida deve ser prescrita de seis a 36 meses, ou como um tratamento de longa duração em ambientes com o HIV e alta prevalência de TB.
• Pessoas vivendo com HIV, que podem ter sintomas da tuberculose deve ser mais triados para TB ativa ou outras condições para que eles possam ter acesso a tratamentos adequados.

"Em muitos países, o HIV é um dos principais motores da epidemia de TB. Tuberculose é evitável e curável e as novas diretrizes mostram como romper a cadeia que liga TB e HIV, levando à morte", disse Mario Raviglione, diretor do Departamento Stop TB da OMS. "Todos os países e as comunidades precisam para implementar as novas orientações e que possam prestar o apoio necessário para garantir que isso pode acontecer."

Equívocos que podem contribuir para a baixa adesão ao tratamento com isoniazida, também são abordados nas novas orientações. Por exemplo, a preocupação que o uso de fármacos anti-TB com isoniazida, sem outras causas de resistência ao medicamento não foi suportada por qualquer evidência científica. Estes e outros esclarecimentos apresentados nas orientações devem limpar o caminho para um maior acesso à terapia preventiva para milhões de pessoas vivendo com HIV.
Acesse o Guideline:
___________________________________


Publicado originalmente em http://medicinadefamiliabr.blogspot.com/