sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Sensibilidade e especificidade do índice de massa corporal no diagnóstico de sobrepeso/obesidade em idosos

O objetivo foi verificar a sensibilidade e especificidade dos pontos de corte do índice de massa corporal (IMC) propostos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e Nutrition Screening Initiative (NSI) no diagnóstico da obesidade em idosos. O estudo foi realizado com 180 idosos de Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. O percentual de gordura corporal foi mensurado por absortometria radiológica de dupla energia. O IMC da NSI apresenta melhores valores de sensibilidade e especificidade para homens (73,7% e 72,5% respectivamente). Para os homens o IMC de 25kg/m² apresentou elevada sensibilidade (94,7%) e baixa especificidade (40%), enquanto o IMC de 30kg/m² possui baixa sensibilidade (31,6%) e elevada especificidade (97,5%). Nas mulheres, o IMC de 25kg/m² (sensibilidade de 76,3% e especificidade de 100%) foi o mais acurado. O ponto de corte da OMS mostrou sensibilidade muito baixa (28,9%). Os resultados desta investigação permitem concluir que os pontos de corte propostos pela OMS e NSI não são bons indicadores de sobrepeso/obesidade para idosos de ambos os sexos.
Retirado de: http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2010000800006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt