sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Estudo reforça ligação entre baixos níveis de vitamina D e demência.

Vitamin D and the risk of dementia and Alzheimer disease


Um novo estudo na revista Neurology amplia as evidências da associação de deficiência de vitamina D com maior risco de demência e doença de Alzheimer (DA).

Foram acompanhados cerca de 1.700 adultos mais velhos livres de demência, AVC, doença cardiovascular, que foram submetidos a medição de 25-hidroxivitamina D sérica e seguidos por aproximadamente 6 anos. Durante esse período, cerca de 170 haviam desenvolvido demência por todas as causas e 100 desenvolveram DA.

Em comparação com os participantes com níveis basais suficiente de vitamina D (50 nmol / L ou mais), naqueles com níveis deficientes (25-50 nmol / L) os riscos para demência por qualquer causa aumentaram de forma significativa (risco relativo = 1.5) assim como especificamente para DA (risco relativo =  1.7). Os riscos relativos foram ainda maiores para aqueles com níveis gravemente deficientes de vitamina D (risco relativo =  2.2 para qualquer demência ou DA).

Os resultados deste estudo apontaram que a deficiência de vitamina D está associada com um risco substancialmente maior de todas as causas de demência e doença de Alzheimer.

Leia o resumo traduzido:

Objetivo: Determinar se a baixas concentrações de vitamina D estão associados com um risco aumentado de incidência de demência por todas as causas e doença de Alzheimer.

Métodos: 1.658 idosos ambulatoriais adultos livres de demência, doença cardiovascular e acidente vascular cerebral que participaram do "Estudo de Saúde Cardiovascular" (Cardiovascular Health Study) de base populacional dos Estados Unidos entre 1992-1993 e 1999 foram incluídos. Concentrações séricas 25-hidroxivitamina D (25 (OH) D)foram determinadas por espectrometria de massa via cromatografia líquida em tandem a partir de amostras de sangue recolhidas em 1992-1993. As incidências de demência por  todas as causas e doença de Alzheimer foram avaliadas durante o seguimento pelo critério de National Institute of Neurological and Communicative Disorders and Stroke/Alzheimer's Disease and Related Disorders Association.

Resultados: Durante um período de acompanhamento médio de 5,6 anos, 171 participantes desenvolveram todas as causas de demência, incluindo 102 casos de doença de Alzheimer. Usando modelos de riscos proporcionais de Cox, as taxas de risco multivariado ajustado (95% intervalo de confiança [IC]) para incidentes de todas as causas de demência em participantes que eram gravemente deficientes para 25(OH)D  (<25 .="" 1="" 2="" 95="" a="" ajustada="" alzheimer="" an="" as="" com="" compara="" concentra="" de="" deficientes="" doen="" e="" em="" eram="" es="" foram="" gravemente="" i="" incidentes="" l="" lise="" multivariada="" nbsp="" nmol="" o="" os="" para="" participantes="" que="" risco="" suficientes="" taxas="">multivariate adjusted penalized smoothing spline plots
), o risco de todas as causas de demência e doença de Alzheimer foram marcadamente aumentadas com um limite abaixo de 50 nmol/ L.
Conclusão: Os resultados confirmam que a deficiência de vitamina D está associada com um risco substancialmente maior de todas as causas de demência e doença de Alzheimer. Isso contribui para o debate em curso sobre o papel da vitamina D em condições não-ósseas.

Acesse o artigo em:






Publicado originalmente em http://medicinadefamiliabr.blogspot.com