terça-feira, 20 de abril de 2010

Triagem de câncer de pulmão e falsos positivos

Cumulative Incidence of False-Positive Test Results in Lung Cancer Screening -A Randomized Trial


A probabilidade de um resultado falso-positivo com screening anual de câncer de pulmão é "substancial", segundo um estudo-piloto publicado no Annals of Internal Medicine em 20 de abril deste ano.

Os pesquisadores randomizaram 3.200 fumantes ativos ou recentes, para radiografia de tórax ou tomografia computadorizada de dose baixa . Os participantes foram selecionados por duas vezes, com 1 ano de intervalo.

Aproximadamente 31% das pessoas no grupo da tomografia e 14% no grupo da radiografia tiveram um ou mais resultados positivos, mas não desenvolveram câncer de pulmão um ano mais tarde ou tiveram resultado negativo na propedêutica completa para câncer. Daqueles que tiveram uma tomografia falso-positiva, 7% foram submetidos a procedimentos invasivos desnecessários. A taxa entre radiografias de tórax falso-positivas foi de 4%. Cerca de 2% em ambos os grupos foram submetivos a um procedimento cirúrgico para uma doença benigna.

Os autores demonstram através da
análise de Kaplan-Meier, que a probabilidade cumulativa de uma pessoa para uma ou mais tomografias falso-positivas foi de 21% (IC 95%, 19% a 23%) após o primeiro screeening e 33% (IC de 31% para 35 %) após o segundo. E concluem: "É importante que os profissionais discutam com os pacientes que solicitam ser submetidos a tomografia computadorizada, para ajudá-los a pesar os danos conhecidos atualmente e os benefícios prováveis".

Mais uma vez, a "medicina preventiva iatrogênica" aparece. Ou seja, dependendo do ponto de vista, "prevenir" nem sempre é melhor que "remediar".

Acesse o artigo: