domingo, 24 de outubro de 2010

PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERAPIA NA ATENÇÃO BÁSICA

E o Fantástico da Rede Globo, resolveu, há algum tempo, falar dos Fitoterápicos. Sabe-se lá que interesses existem por trás dessa campanha da Globo, colocando o Dráuzio Varella para executar essa cruzada. Mas, como diz uma conhecida minha, é fácil falar mal da Globo. Independente das razões, não podemos tirar descartar que há muita razão no que foi falado ali.

Já o Ministério da Saúde (MS), em seu site, não preconiza a utilização de fitoterápicos exclusivamente, ou o uso de chás. Os Fitoterápicos estão dentro do que se chama de terapia complementar. Sem querer defender o MS, mesmo porque não tenho nada a ver com o órgão, mas hoje as terapias alternativas são realidade. A Acupuntura, que até pouco tempo era considerada magia-negra, hoje já possui evidências, inclusive na Cochrane.

A Fitoterapia também tem seu valor reconhecido, em um trabalho da UFRGS, que detalha algumas evidências.

Com os inúmeros Determinantes Sociais de Saúde presentes no diagnóstico e terapêutica da Atenção Primária, tratar certas queixas, requer criatividade e busca de alternativas. Claro, que não é o caso de eu querer tratar o paciente com Dengue com Cristal de Quartzo, mas sim manter a mente aberta para outras culturas e terapias (coitado do Soro de Reidratação Oral, que tanto estranhamento causou na época de sua concepção).

Grato ao Léo Savassi, que me mandou a notícia.

Para saber mais:
Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS


Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos