quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Há recomendação da OMS OPAS para leitos/habitante, médicos/habitante e tempo de consulta?

Leitos por Habitante e Médicos por Habitante


A OMS ou a OPAS faz alguma recomendação específica sobre padrão ideal de leitos, ou médicos, ou outros profissionais de saúde ou até mesmo de tempo de consulta?


Entenda:

Madrugando pelos Blogs da Saúde, me deparo com uma intrigante colocação.
Um texto da rede humaniza-SUS, do Blog de Rondinelli Salvador Silva encontro esta pérola, que jogaria por terra argumentos e proposições em cima de supostas recomendações "duras" acerca do que seria adequado para a assistência a saúde.
O documento é "Leitos por Habitantes e Médicos por Habitante a OPAS/OMS", datado de 2003, e o texto que segue-se é o seguinte:
"A Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Organização Pan-americana da Saúde (OPAS) não recomendam nem estabelecem taxas ideais de número de leitos por habitante a serem seguidas e cumpridas por seus países-membros.
Tampouco definem e recomendam o número desejável de médicos, enfermeiros e dentistas por habitante.

Não existe, ainda, orientação sobre a duração ideal das consultas médicas ou um número desejável de pacientes atendidos por hora."
Confira outros trechos do mesmo documento:
"A definição de índices, como número de leitos ou médicos por habitantes depende de fatores regionais, sócio-econômicos, culturais e epidemiológicos, entre outros, que diferem de região para região, país para país. Isso torna impossível, além de pouco válido, o estabelecimento de uma “cifra ideal” a ser aplicada de maneira generalizada por todos os países do planeta."
"A quantidade de leitos hospitalares ou de profissionais de saúde em relação ao número de habitantes também não são índices suficientes para avaliação de um sistema de saúde."
"Outro exemplo vem de países industrializados, como o Canadá. Lá, o número de leitos por habitante tem sido reduzido drasticamente nos últimos anos, como resultado da estratégia de investir em tecnologia e no aumento da capacidade resolutiva do sistema de saúde. Exames que antecedem uma cirurgia, por exemplo, são feitos a nível ambulatorial. A idéia é deixar o paciente o menor tempo possível internado."
Espero uma resposta a esta provocação do Rondinelli, aqui ecoada.

Esta proposição da OMS e OPAS já caiu por terra?
Trata-se de uma chamada falácia?
Há recomendação dura da OMS acerca de leitos/habitante, médicos/habitante?



Acesse o documento da OMS e confira:



Saiba Mais:
Veja um gráfico sobre o número de médicos por habitante em cada país

Publicado originalmente em http://medicinadefamiliabr.blogspot.com

Comente!