sexta-feira, 15 de julho de 2011

Efeito placebo é similar ao do albuterol na sintomatologia relatada de asma estável

Active Albuterol or Placebo, Sham Acupuncture, or No Intervention in Asthma


Estudo com pacientes asmáticos mostra que os efeitos auto-avaliados do tratamento podem ser controversos. Neste estudo, os pacientes relataram melhora com placebo similar à do Albuterol, mesmo que os testes respiratórios apontem o contrário, sugerindo que os desfechos ligados a auto-avaliação podem mascarar uma verdadeira ausência objetiva de efeito clínico. O estudo foi publicado no New England Journal of Medicine .

Um total de 39 pacientes com asma estável concluíram cada um dos seguintes quatro tratamentos durante uma série de visitas: albuterol inalador, inalador falso, acupuntura simulada, ou espera vigilante na clínica (controle). Volumes expiratórios forçados, menos 1 segundo (FEV1s) foram medidos durante cada visita, assim como as avaliações subjetivas dos pacientes quanto a melhora dos sintomas.

Melhorias na FEV1s foram significativas apenas após o tratamento albuterol, mas não depois de qualquer um dos outros três. No entanto, as medidas subjetivas de melhora dos sintomas aumentou significativamente, após todos, mas o tratamento controle. Os autores concluem que "resultados objetivos devem ser mais fortemente invocado para cuidado com a asma ideal."

Entre as várias conclusões que se pode tirar deste estudo, destaco a importância de estudar os desfechos corretos. No caso em questão, o desfecho de melhora relatada da sintomatologia não demonstrou diferença entre os tratamentos, o que só foi possível através da espirometria.

Leia o resumo traduzido:

ANTECEDENTES
Em estudos prospectivos experimentais em pacientes com asma, é difícil determinar se as respostas ao placebo diferiram do curso natural das mudanças fisiológicas que ocorrem sem qualquer intervenção. Foram comparados os efeitos de um broncodilatador, duas intervenções placebo, e nenhuma intervenção sobre os resultados em pacientes com asma.

MÉTODOS
Em um estudo duplo-cego piloto, crossover, que aleatoriamente selecionou 46 pacientes com asma ao tratamento ativo com um inalador de albuterol, um inalador placebo, falsa acupuntura ou nenhuma intervenção. Usando um delineamento em blocos, administrou-se a cada um destes quatro intervenções em ordem aleatória durante as quatro visitas seqüenciais (3 a 7 dias de intervalo); este procedimento foi repetido em mais dois conjuntos de visitas (de um total de 12 visitas por cada paciente). Em cada visita, a espirometria foi realizado repetidamente ao longo de um período de 2 horas. Volume máximo expiratório forçado em 1 segundo (FEV1) foi medido, e as avaliações dos pacientes auto-relataram melhora foram registrados.

RESULTADOS
Entre os 39 pacientes que completaram o estudo, albuterol resultou em um aumento de 20% no VEF1, em comparação com cerca de 7% com cada uma das outras três intervenções (P<0,001). Entretanto, os relatórios dos pacientes de melhora após a intervenção não diferiu significativamente para o inalador de albuterol (50% de melhora), placebo inalador (45%), ou acupuntura falsa (46%), mas a melhora subjetiva com todos os três destas intervenções foi significativamente maior do que com o controle da não-intervenção (21%) (P<0,001).

CONCLUSÕES
Apesar de somente o albuterol , mas não as duas intervenções placebo, melhorar o VEF1 nestes pacientes com asma, ele não forneceu nenhum benefício adicional com relação aos resultados auto-relatados. O efeito placebo pode ser clinicamente significativo e pode rivalizar os efeitos da medicação ativa em pacientes com asma. No entanto, a partir de uma gestão clínica e pesquisa em perspectiva, os auto-relatos podem não ser confiáveis. Uma avaliação das respostas não tratada na asma pode ser essencial na avaliação de paciente, segundo os resultados.


Leia o artigo (para quem tem Periódicos CAPES, o acesso é livre):







Um editorialista oferece uma visão diferente sobre o significado do estudo, perguntando: "Qual é o resultado mais importante na medicina: a objetiva ou subjetiva? o médico ou a percepção do paciente?" Acesse o editorial (também não livre acesso):







O Medline Health Plus também comenta o artigo em sua sessão Understanding Medical Research destacando o poder do efeito placebo, já que os pacientes com asma acharam que drogas reais e falsas trouxeram o mesmo resultado, mesmo que o medicamento verdadeiro tivesse efeito muito maior em seus pulmões.:







Publicado originalmente por Leonardo Savassi