sábado, 28 de março de 2009

Screening de Osteoporose é baixo na Pensilvania

Factors Associated with Osteoporosis Screening and Recommendations for Osteoporosis Screening in Older Adults

Estudo publicado em Março de 2009 no J Gen Intern Med demonstra que as taxas de recomendação e de screening de osteoporose permanecem baixas.

O estudo foi direcionado a pacientes ≥60 anos vivendo no leste da Pennsylvania. Foram preenchidos 1268 questionários enviados a 1830 adultos (69.3%). A população era branca (92.9%), mulheres (58.7%), e em sua maioria se consideravam com boa a excelente saúde (88.2%). Deles 47.6% afirmou que seu médico recomendou screening para osteoporose, e 62.6% relataram submissão ao screening.

Pacientes mais velhos tiveram menor probabilidade de recomendações, (OR, 0.87 a cada 5-anos de aumento na idade; 95% CI, 0.77–0.97) e indivíduos com fatores de risco (uso de esteróides acima de um mês, perda de estatura >2.54 cm, ou histórico de trauma de baixo impacto) não foram alvos prioritários de recomendações de screening em relação a indivíduos livres destas características. O uso de corticóide também não esteve relacionado com realização de screening.

No Brasil, onde a densitometria não é disponibilizada na rede pública, os resultados podem ser ainda piores. Embora aqui um artigo de economia da saúde aponte que a suplementação universal de cálcio e vitamina D podem ter melhores resultados que o screening universal.

Acesse o artigo (Oppen Access)

Artigo Economia da Saúde Osteoporose Brasil (Livre Acesso)

(Link já corrigido)